Pular para o conteúdo

O jumento de Caiçara na maior revista do Brasil

Caiçara já teve projeção nacional na imprensa escrita através de renomados sites que destacaram conquistas do vôlei e do basquete; premiação nacional conquistada pelo Grupo Atitude; projeção de alguns de seus filhos ilustres; porém nenhum veículo de comunicação desses tinha o alcance da revista “O Cruzeiro”, a mais importante revista do país antes da “Veja”. Na edição de outubro de 1961 foi publicada uma nota sobre um fato inusitado: um jumento entrou no fórum de Caiçara e botou todos pra correr!

Tratava-se de um fórum eleitoral que funcionou temporariamente no imóvel que atualmente fica do lado esquerdo da escola “Arco-íris”, com esquina para o beco que vai para o Rio Curimatáu. Era tempo de recadastramento eleitoral. Dr. Wilson Pessoa, o juiz da época, estava no local pois, como analfabeto não podia votar, ele, que também era professor e diretor do “Ginásio Comercial” de Caiçara, gostava de abrir um livro e mandar a pessoa ler, caso não conseguisse não fazia o título. Os oficiais de justiça eram Severino Félix (“Seu Bila”) e “Zé Crispim”. Julieta Amaral era a funcionária e Dr. Antonio Xavier (atual Procurador aposentado da Justiça do Trabalho) auxiliava nos trabalhos.

O fato foi ainda mais surreal do que diz a matéria. na verdade, segundo o próprio Dr. Antonio Xavier e cidadãos como “Mazinho” e “Zezinho Santana”, vieram “desembestados” pela rua uma jumenta perseguida por um jumento no cio. Eles vinham do lado da igreja, podendo mesmo terem sido soltos e tangidos em direção à rua, como disse “Edvaldo de Luiz de Luquinha”. Ambos entraram no cartório e as pessoas assustadas saíram por uma porta lateral. Os animais consuram o ato. “fizeram uma sujeira danada”, disse Dr. Antonio. Logo que foram retirados do local e o juiz mandou prendê-los. depois ele procurou proibir a circulação de animais nas vias públicas.

* Texto: Jocelino Tomaz de Lima

Fontes: Revista “O Cruzeiro” (outubro de 1961) e entrevistas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *